Fonte: Redação - Fotos: Divulgação

Muitas vezes esquecido, o teto pode mudar completamente a cara do ambiente. Ao longo dos últimos anos, eles passaram, literalmente, em branco na decoração. Um espaço que não costuma ser muito explorado nos projetos residenciais tem ganhado destaque no trabalho de alguns arquitetos. É o caso do goiano William Hanna, que desde o início de sua carreira se despertou para isso. “Logo que comecei participei da Casa Cor Goiânia em 2010 e fiz um ambiente com teto em espelho. Houve muita repercussão e percebi que era um local importante de ser trabalhado”, relembra.


Em um de seus recentes trabalhos, o arquiteto e designer de interiores ressaltou o teto em alguns dos ambientes. Logo no hall que dá acesso aos decorados já é possível perceber a integração do espaço, visto que as faixas de madeira que sobem pela parede se estendem ao teto, bem como a pintura. “Quando as pessoas chegam no hall têm um impacto visual, o correr do olho as fazem olhar para o teto. Instiga a pessoa a querer ficar mais no ambiente”, explica William Hanna.


No apartamento decorado de 69 m², o teto da entrada e da cozinha é constituído de MDF amadeirado. “Isso permite uma identidade com a casa, traz aconchego para o dia a dia e causa também um impacto visual. Em ambientes menores quando trabalhamos o teto ganhamos visibilidade para o espaço, o tornando atrativo”, salienta o arquiteto. “Gosto de mostrar que todos os espaços podem ser aproveitados e também gosto de fazer locais aconchegantes”, afirma.


O teto trabalhado pode ser um diferencial no espaço e dar um ar mais moderno ou sofisticado, quando trabalhado de forma apropriada. O decorado de 119 m² montado por William Hanna possui dois ambientes onde o teto chama a atenção dos visitantes. O primeiro é no lavabo, onde um ripado cinza foi instalado da parede ao teto. “Quando faço um decorado o retorno que tenho dos visitantes acontece através dos corretores e eles sempre me falam que os comentários sobre o lavabo são muito positivos, que os clientes estão apaixonados”, conta. 


O outro espaço com o teto trabalhado é o quarto do garoto, onde foi instalado um MDF quadriculado em verde escuro, mesmo tom usado em outros detalhes do ambiente. O segredo para decorar o teto sem errar é ter um projeto de decoração bem elaborado para que haja harmonia com o restante do espaço e evitar o excesso. “Trabalhar o teto se tornou um diferencial no design de interiores. É preciso ter alguns cuidados, como com a cor, decorar sem ser pejorativo e tornar o ambiente atrativo com elementos visuais marcantes. Eu gosto muito, tanto que todos os tetos do meu escritório são trabalhados. Lá usei cimento queimado, papel de parede e lâmina de madeira”, salienta William Hanna.


Mais imagens

Rua Geraldo Agostinho Ramos, 394
Jardim Paulista
Campo Grande - MS

Ver mapa

(67) 99985-4021 / 99211-9895